Doce Hannah,

Já faz um bom tempo em que não nos falamos. Por vezes, a vida se torna cruel e sem sentido, e acabamos por nos afastar daqueles por quem temos profundo apreço e enorme consideração.

Eu espero que quando tomar ciência dessas poucas linhas, tu estejas bem e em paz, aonde quer que seja.

Quando decidi escrever-te, fui até a minha velha escrivaninha empoeirada e encontrei o antigo tinteiro e a corroída pena, com os quais tu brincavas de escrever poesias e davas os primeiros rabiscos, que eu sempre admirei. E o tempo voltou como num filme em câmera lenta.

Relembrei de quantas vezes eu te via sentada no banco do jardim, olhando o céu, com os teus lindos olhos brilhantes, sorrindo...era mesmo um encanto ver-te assim, com os cabelos esvoaçando e a sua voz meiga, convidando os passarinhos para conversarem contigo.

Não me recordo de tudo...são imagens rápidas que atravessam a minha memória, mas que me dão a nítida certeza, neste tempo de agora, de que construíste dentro de mim, com beleza e amor, o ser humano que hoje sou.

Quando partiste, em busca da sublime Verdade, eu não me entristeci. Eu soube reconhecer, mesmo com um pouco de dificuldade, que partidas não existem. Tampouco separações.

Talvez, o que exista, seja apenas uma continuidade daquilo que somos e que vai além da nossa compreensão. Mas no fundo do nosso íntimo temos a certeza de que essa continuidade traz à nossa alma um grande aprendizado, como nos traz também a capacidade de sentirmos com profundidade que, tudo o que acontece, é exatamente, para o nosso bem.

Hoje consigo ver nitidamente como tu foste importante em minha jornada.

Doce Hannah, tu viveras sempre dentro de mim e faras parte eterna da minha história.

Tu partiste nas nuvens, mas eu continuarei essa história tão bonita que não teria tido início, se não fosse o tempo que dividimos juntas.

Antes de findar estas poucas linhas, quero que tu saibas que a ETERNIDADE e a REDENÇÃO serão dois vocábulos que caminharão sempre junto comigo. De mãos dadas como dois irmãos, que nunca se separarão.

A REDENÇÃO, porque através dela tu me ensinaste a redimir-me.

A ETERNIDADE, porque ela faz com que tu e eu sejamos uma única essência, neste Universo cheio de estrelas que brilham e que me fazem recordar da tua alma etérea e cheia de luz.

Agradeço-te Hannah.

Sempre serei grata pela tua ETERNA presença.

Bem aqui, dentro do meu peito.

Com o mais puro afeto.

Angela

Angela Lazzari

(Aos dezenove dias do mês de Maio de 2017).

Exibições: 12

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Comentário de Luiz Mário da Costa ontem

...
confesso
que estou aqui
deslumbrado com o que li

Alem
de poeta; uma
escritora que trata os vocá

Bulos
com minuciosidade
transformandos a leitura em enlevos

...de sentimentos

Comentário de Angela Regina Lazzari domingo

Obrigada Jô! Fico feliz que tenha gostado. Beijos.

Comentário de maria jose zanini tauil domingo

Lindo! Um conto que fala de saudade e presença constante, pois o pensamento tem esse poder.Traz de volta até mesmo os que morreram para o mundo, mas não no nosso coração.
Um beijo!
Jô Tauil

Editora Casa da Poesia

   Vol. 4 - Pré-lançamento

Livros à Venda
CLIQUE AQUI

PARCEIROS

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Badge

Carregando...

© 2017   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo